segunda-feira, 8 de setembro de 2014

LUNAR

Acontece todo mês, você não faz segredo,
se consumindo inteira, serena em seu degredo
se tornando Minguante, o ventre vai curvando
pra receber aquele, sem sombra, o soberano.
Vai visitar seu homem e enquanto você some
não se semeia a terra, no mar peixe se esconde,
a minha irmã mal come, cabelo ninguém corta
enquanto você é Nova ,enquanto você é Nova.

Mas quanto mais se afasta do Rei que te ilumina
mais fica poderosa, mais fica feminina
enfeitiçando amantes, inspirando poetas
Cheia de si, brilhante, enlouquecendo a gente.
E pra quem te despreza por nunca ter luz própria
e ser só um reflexo daquele que te ama,
responde: “-ele é a chama que aquece todo mundo,
sou só a sua dama, porém sou eu  
quem brilha no escuro”.

3 comentários:

  1. Arrebatador esse jogo de masculino e feminino, a delicadeza com que tudo é colocado, esse jogo de gravidez após o domínio de seu astro, a concepçao lembrando o nascimento tao ligado às mudanças de lua, que nem os obstetras duvidam dessa íntima relaçao.
    Parabéns por tanta sutileza, Ana.

    ResponderExcluir