sexta-feira, 15 de agosto de 2014

MEU BEM - I

Não, meu bem. Eu cheguei tem muito tempo. Aquela que viu vestida de melindrosa era eu nos anos loucos bebendo champanhe e dançando charleston pra você, a hippie viajando de ácido e te mostrando a beleza de tudo que você não via, e aquela protegendo a cabeça dos meus e dos teus filhos, também era eu. Até a que desfilou no carnaval e tocou tamborim na roda de samba. Eu era tantas que você dormia e acordava com mulheres diferentes e não sabia que todas eram uma só. E agora pergunta quando cheguei? Eu não sou uma fantasia, eu sempre estive dentro de você.


6 comentários:

  1. Elogiar o que escreve, é chover no molhado!!! Lindo!!!

    ResponderExcluir
  2. Acho que devo ser a maior fã dessa série. Fantástica, Ana. E rendeu até canção.
    Luzia, a "anônima".
    Que não é um robô.
    Mas serei um androide?

    ResponderExcluir
  3. Admiração por uma amiga super inteligente!

    ResponderExcluir
  4. Linda como sempre em letras e canções que já cantamos.

    ResponderExcluir
  5. Maravilhosa. Uma referência para mim.

    ResponderExcluir
  6. Ana Terra minha poeta preferida, para ser poeta é preciso talento, e coragem

    ResponderExcluir