quarta-feira, 2 de julho de 2014

SERÁ POESIA

será poesia
me consumir em dores?
não quero a poesia
e seu discurso
quero o universo
e sua descoberta
que é infinito
em espaço e tempo
conviver com essa simplicidade:
não existem criador
princípio e fim
a velocidade da luz
é variável
o homem viajará pelas galáxias
terá acesso a grandezas
que o libertarão
de jugos e tristezas
deus diabo
e seus sinônimos



3 comentários:

  1. Belo poema, Ana Terra.
    Essa é uma dor existencial. Pode chamá-la de poesia, pode ser apenas a vida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mal sabe a Ana , que as coisas rasteiras mais celestam

      Excluir
  2. Poesia.. escrever apontamentos da alma....linda..atual...

    ResponderExcluir